Formação profissional e suas pérolas parte 2

Comentários

6

Selma

julho 15, 2014 12:27 pm Responder

Concordo plenamente! As diferenças estão no “Aurélio”.
Questão apenas de consultar o segundo maior livro, depois da Bíblia, claro!

fatima silva gomes

julho 15, 2014 12:30 pm Responder

Você escreve muito bem mariana de um jeito fácil q todos entendem! Consegue tirar a dúvida eu acredito de muitas pessoas! parabéns!!!

Joelson Facchini

julho 16, 2014 9:50 pm Responder

Boa tarde,
Gostaria de complementar sobre a Especialização Técnica em Drenagem Linfática Manual, a Fisio Vitae é a única escola Técnica de Massoterapia há oferecer esse curso no Brasil.
Especialização Técnica em Drenagem Linfática Corporal e Facial
(Aprovado pelo Parecer CEE/SC nº 017 de 19/02/2013. Publicada no DOSC nº. 19.599 de 20/06/2013.)
O curso possui 300 horas aula direcionado a portadores de Diploma/Certificado com formação técnica em Massoterapia ou Estética, desde que o mesmo seja fornecido por instituição credenciada pelo CEE/MEC.
Mais uma observação, cursos de Especializações Técnicas de nível médio possuem entre 25% e 30% da carga horaria do Curso ao qual ela se destina.

    Vic

    julho 28, 2014 1:49 am Responder

    Mariana Negrão, entendo sua postura diante do cuidado que as pessoas devem ter
    ao preencher um currículo ou divulgar seu perfil profissional, mas percebi em seu
    relato uma contradição, pois ao mesmo tempo que você afirma que tal pessoa errou
    ao adicionar uma suposta “especialização” onde, conforme seu registro, só cabe diante
    de aquisição de um diploma de pós graduação, você aceita o currículo do profissional
    O. Sanches afirmando que o mesmo pode ser um especialista sem ter uma pós graduação
    como antes direcionada por você.
    Sabemos que um especialista é quem se dedica exclusivamente ao estudo ou à prática
    de uma ciência, uma arte ou uma profissão. Diante disso temos temos os especialistas
    pós graduados, os que se dedicam ao estudo, assim como temos os especialistas que adquiriram tal grau pela prática e que são reconhecidos como tais, como no caso do profissional citado, outro exemplo: um barista, que é um especialista em café, não possui curso de pós graduação e ainda assim é considerado um “especialista”.
    Abraços. Gosto muito deste blog.

      maricnegrao81

      julho 28, 2014 11:30 pm Responder

      Oi Vitoria, o que eu quis dizer é que para a pessoa mandar um currículo se dizendo especilista ela deve ter essa formação, sabemos que algumas pessoas se tornam “especilaistas”em função da p’ratica e do estudo exaustivo mas ela num curriculo lattes ou onde se candidate a uma vaga ela não pode escrever que é especialista entende? São coisas totalmente diferentes… foi isso que eu quis dizer, nao sei se fui clara rsrsrsr

Vic

julho 30, 2014 9:51 pm Responder

Pois é Mariana, no caso da amiga que elaborou o currículo seria melhor que a mesma
colocasse que tem anos de prática em Drenagem ou coisa parecida não é mesmo?
Agora, cá prá nós, o próprio O. Sanches colocou no LinkedIn , que sabemos ser um
site de “currículos”, que é um “especialista” em Drenagem e, como ele é uma referência
na área, as pessoas acabam por fazer igual…nada contra, só estou citando porque no
fundo as pessoas se apoiam nos exemplos de pessoas que são reconhecidas…
Talvez até eu copiaria ele….rsrsrs ….. daqui uns dias tem gente copiando você também, se é que já não tem né? rsrsrs…
Parabéns pelo site! Fiquei feliz em encontrar um blog com informações tão importantes
e bem legais! Abraços.

Comentar